25.8 C
Guarulhos
seg, 22 jul 2024
- PUBLICIDADE -

Coluna Aberta: A mãe que viaja sem os filhos

PUBLICIDADE

Para algumas mulheres, pensar em viajar a lazer, sem os filhos principalmente os pequenos, é um pensamento distante e com muito julgamentos internos.

“Como assim a mãe vai viajar sem o filho?”, “Coitada da criança tão novinha e já vai se sentir abandonada!”, “Ninguém vai cuidar como eu”, “Estarei sendo egoísta”,  “E se…, e eu não estiver aqui!?”, “É minha obrigação estar aqui”, “Vou perder momentos importantes com a criança” “Se eu não estiver aqui meu filho não conseguirá ficar bem”…Entre tantos outros pensamentos que são construídos desde de muito antes dessa mulher se tornar mãe.

PUBLICIDADE

Você não precisa deixar de se escolher por ser mãe.

As viagens são importantes para se reconectar consigo mesma, se reconhecer, sair da imersão da preocupação e estado de alerta diário com as demandas dos filhos e função materna.

Viajar sem os filhos, é uma oportunidade de se lembrar das suas próprias necessidades, gostos, vontades, interesses. É ouvir sua voz e sua risada sobre temas que te levam cada vez mais ao encontro de si mesma, se SENTIR e se permitir SER a mulher para além de todas as funções que a rotina te solicita. 

Quero dividir com você ferramentas que podem contribuir para ir em viagem mais tranquila:

  • Insira semanas antes o tema da viagem e da sua ausência física no dia a dia dessa criança. Dívida sobre o local que vai, o tempo que ficará, quando voltará efetivamente, de maneira LEVE e dê espaço para criança falar sobre
  • Se possível, durante seu período fora, mantenha a criança no ambiente de costume (sua casa). Não sendo possível, procure fazer uma adaptação com a criança ao novo local antes da viagem.
  • Conte com sua rede de apoio, sendo pessoas que confia, e que a criança já tenha relacionamento afetivo presente.
  • Procure organizar as documentações de saúde da criança e deixe aos cuidados da rede de apoio assim como números de telefone de segurança caso necessário
  • Importante que a rede de apoio, mantenha a rotina já vivida pela criança anteriormente durante o período da sua ausência.
  • Usufrua da tecnologia a seu favor e se faça presente com ligações de vídeo (se organize com seus horários dependendo do fuso, para você se adaptar ao horário da criança)

Procure estar presente em sua viagem, vivendo as experiencias que precisa viver lá, e entenda que sua criança também viverá uma experiencia necessária para seu desenvolvimento emocional.

Sentir saudade é natural, e por vezes, pode vir com o peso da culpa de se sentir ausente, mas se o amor nos preenche de dentro para fora, como atrelar a ausência apenas pela presença física? 

Que relacionamento tem construído com seus filhos? Sabe responder ou fica buscando se encontrar na resposta do outro sobre você?

Cuidar de você e estar bem emocionalmente, é um grande presente aos seus filhos.

Saúde Mental Materna Importa! O começo da vida impacta o nosso amanhã!

Daniele Barros é Mãe | Psicóloga Obstétrica | Neuropsicóloga pelo Hospital Albert Einstein | Master Coaching IBC – Autoperformance Feminina | Graduada em Gestão de Pessoas | Pós graduada em Marketing pela Business School São Paulo | Psicologia Analítica Junguiana pela Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa | Formação em Psicologia Perinatal e da Parentalidade pelo Instituto Mater Online | Aprimoramento em Pré Natal Psicológico pelo IBIPO | Em constante aprimoramento em Saúde Mental.

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM

REDES SOCIAIS

30,908FãsCurtir
10,600SeguidoresSeguir
5,417SeguidoresSeguir
2,940InscritosInscrever
PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS